Vereador Jessé sofre derrota e pode ficar sem mandato e sem poder concorrer nessas eleições

Justiça acata o pedido do Ministério Público Eleitoral e negou registro de domicílio do vereador Jessé Sangalli em Porto Alegre. Ao vereador ainda cabe o recurso ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE), mas a derrota abre questões legais que podem também reverter a filiação partidária na Capital. 

A decisão do juiz da 1ª Zona Eleitoral Mauro Caum Gonçalves, publicada nesta sexta-feira (22), cita que considera por domicílio “onde se estabelece com laços de permanência”, e que não há justificativa para a transferência do registro eleitoral. 

“No caso, o requerido não nega que tenha seu centro de interesses em Viamão e que pretende transferência para Porto Alegre a fim de viabilizar um projeto POLÍTICO de eleição. Não se trata, como se vê, de um mero cidadão que teve alterada sua vida. ORA, se reside e tem seu principal centro de interesses em Viamão, não há justificativa plausível em querer transferir seu domicílio eleitoral, eis que radicado lá.

DITO ISSO, indefiro o pedido de transferência do eleitor.​”

Em Viamão, o vereador está sem partido. Como parte da decisão de concorrer na Capital, filiou-se ao Cidanania, mas sem domicílio na cidade, a participação na agremiação partidária poderá ser questionada. Caso perca a ficha em Porto Alegre, não há mais prazo legal para uma filiação em Viamão com objetivo de disputar uma nova cadeira na Câmara local.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *